domingo, 2 de fevereiro de 2014

CAMISETAS DE CORRIDA, CONTANDO A HISTÓRIA DE CADA PROVA

Um dia resolvi me "desapegar" das minhas
camisas de provas que já participei.
que dificuldade ! (rss)
E aí, Corredor?!

Todo corredor valoriza, além de uma bonita medalha ou troféu, um kit maneiro, que venha, principalmente, com uma bela camiseta para nossos treinos. Na verdade, assim como a medalha, a camiseta traz a história de uma prova, a lembrança daquele desafio vencido.

Mas elas vão se acumulando em nossos armários. A cada corrida, uma camiseta preenche o espaço vazio. Até que lota e não tem mais espaço para outra.

O pior é que o valor sentimental de cada peça não deixa que a gente se desfaça de uma peça ou outra. Até faço um “bota fora” a cada fim de ano ou quando “dá na telha”. Mas tem algumas camisas que, por mais feinhas, trazem um monte de recordações boas.

Foi fácil, por exemplo, me desfazer das camisas da Volta da Pampulha. Participei de três edições, mas em nenhuma delas a camiseta agradou. Foi fácil  colocar elas entre as descartáveis.

Mas é incrível a resistência que tenho para me desfazer da minha camisa da São Silvestre. Participei de uma edição, a camisa nem é lá essas coisas, mas é tanta recordação e o status é tanto que fica difícil doar. Fiz a prova de 2011/2012, depois de várias tentativas frustradas e meio que não me sentia um corredor, mesmo tendo participado de maratona e tudo mais. Afinal, a primeira pergunta que todo leigo faz para gente é se participamos de uma São Silvestre e, quando falamos que não, lá vem aquela cara de decepção, mesmo a gente sabendo que esta não é a prova mais difícil do país.

Outras camisas que não me desfaço são as das provas patrocinadas pela Adidas. Neste caso, mais pela qualidade do material do que pelo valor sentimental. Apesar de que existem provas ímpares que participei com a Adidas: as três meias maratonas internacionais do Rio de Janeiro, por exemplo.

Enfim, nesta brincadeira, as camisas vão se acumulando, lotando o armário e deixando a gente cada vez mais sem espaço. Aí, a cada novo ano, pelo menos, lá vamos nós nos desfazer de nossos momentos de glória, representados por cada camiseta das provas.

Boas passadas!

3 comentários:

ivana. disse...

Pois é, amigo, cada uma delas tem um significado muito grande para mim (que emagreceu 35 quilos ...), daí que fica difícil me desvencilhar ... Beijo, bons treinos.

Luiz Souza disse...

Olá Caíque.
Esu só consigo me apegar às medalhas mesmo.
Camisas eu uso um pouco e "mando pra frente"
Sucesso.

Caique disse...

E aí, Corredores?!
POis é, cada um tem uma maneira diferente de "encarar" este desapego. Confesso que, em alguns casos, não tenho nenhum problema, mas em outros, é mais difícil mesmo.
Boas passadas!!!!