segunda-feira, 24 de novembro de 2014

MARATONA ECOCROSS - AVENTURA NAS TRILHAS DO CERRADO (Por Thaís)

E aí, Corredor?!

Brasília foi palco de muitas corridas neste final de semana, disso eu já falei. Só no domingo, foram três corridas, todas com o patrocínio da Caixa: Eu Atleta Caixa, Circuito de Corridas da Caixa e Maratona de Revezamento Ecocross Caixa.

Sobre a Eu Atleta e o Circuito de Corridas, já falei para vocês no meu post anterior, uma vez que corri as duas, fazendo os 5k em cada uma delas. Na Ecocross eu não fui, mas duas amigas foram e encararam a Maratona em dupla, correndo no frio domingo da capital federal pelas trilhas do Lago Norte/Colorado.

Um pouquinho do que é a Maratona Ecocross: a prova mistura variados terrenos, saindo do asfalto e entrando em trilhas desafiadoras. Uma boa mistura de terrenos em uma única corrida, com um pouco de asfalto, muita terra, areia, pedra, mato, água e lama distribuídos em 42 km, é claro com pitadas de aventura, mas tudo isso com infra-estrutura completa em todo o percurso. Os trechos são de aproximadamente, 10 km, 09,5 km, 14,2 km e 08,3 km, com aproximadamente 42 km de maratona, com paradas nos pontos de troca para revezamentos, chamados de Oásis do Atleta. A corrida pode ser feita individualmente ou revezamento em Dupla ou Quarteto. 

E foi esta aventura que Thaís e Grace, duas grandes amigas da Equipe X, encararam, fazendo a prova em dupla. Elas só não esperavam que a aventura fosse tão cheio de emoção. 

Para conferir, leia o relato, escrito por Thaís, da saga Maratona Ecocross Brasília 2014: 

As topmasters guerreiras que encararam mais um desafio
na carreira de corredoras de aventura, Thaís (à esquerda)
e Grace, dupla que já enfrentou o deserto do Atacama
Fiz a prova em dupla com minha parceira Grace, e as 7hs da manhã larguei em frente ao Deck Norte para meu primeiro trecho. A primeira parte dele era muito boa, até o km 6 bem tranquilo. A partir daí começava a ficar mais complicado, passamos no rio e entramos em uma trilha mais técnica.

Foi aí que minha sina começou... Por volta do km 8, o grupo que estava na minha frente distanciou, e os vi num local mais alto, fora da trilha e não entendi o que eles estavam fazendo ali... Naquele momento avistei a fita da sinalização mais à frente, na trilha onde eu estava. Com medo de me perder, resolvi seguir a fita. Só que não tinha visto que logo à frente tinha um enxame de abelhas!!!

Quando me dei conta, já estava em cima delas, só me restou correr e atravessar o enxame! Foi terror e pânico!!! Fiquei tentando, sem sucesso, me livrar delas, mas elas embolaram no meu cabelo, e o barulho no ouvido era ensurdecedor!!! Nesse momento parei para tentar tirá-las do meu cabelo, eram muitas, e acabei perdendo minha aliança de casamento. Percebi que a tinha perdido, mas vinham pessoas e mais abelhas correndo em minha direção, se eu não corresse junto corria o risco de levar mais picadas...

Ainda faltavam 2km (os mais difíceis do trecho e mais longos da minha vida) e fui percorrendo enquanto tirava abelhas da minha roupa. Estava com muito medo de ter um piripaque ali, no meio da trilha, e ao mesmo tempo estava arrasada porque achava que ia ter que abandonar a prova e deixar a Grace na mão... Consegui chegar aos trancos e barrancos e ao encontrar a Grace falei para ir tranquila, pois não sabia se ia conseguir continuar e talvez ela tivesse que correr mais, pois meu 2º trecho tinha 14,5km.

Fui imediatamente atrás de um posto médico, mas não tinha nada... Nesse momento avisto a Grace voltando, ela ficou preocupada com a minha situação, lembrou do filme "Meu primeiro amor", e achou que eu poderia morrer... (rsrs). Consegui convencê-la a correr e fazer seu trecho, pois já tinha ligado para o meu marido e ele estava chegando. Grace seguiu e eu fui para a torre digital. Chegando lá, também não tinha posto médico, mas encontrei a Diva e o Sergio, amigos queridos que, junto com a equipe deles, me acalmaram dizendo que se eu tivesse alergia já estaria sentindo as reações, e naquele momento eu estava bem, somente sentindo as dores das picadas. Eles me ajudaram a tirar os ferrões e foi nesse momento que percebi a quantidade de picadas que tinha tomado!! Depois eu contei, foram mais de 30!!

Logo depois meu marido Rafa chegou, e depois de chorar e pedir desculpas pela aliança perdida, passamos uma pomada antialérgica que ele trouxe e eu comecei a me acalmar... Grace já estava quase chegando do seu trecho (ela contou que se poupou pois estava achando que ia ter fazer os todos os 32km que faltavam) e eu precisava decidir se ia correr agora ou ia deixá-la seguir. Ainda estava um pouco nervosa mas decidi fazer o trecho, não treinei tanto para desistir assim!! Quando ela chegou, parti para fazer meu trecho, e apesar de ser um trecho fácil, era longo, e passei a corrida toda pensando que qualquer coisa que sentia era resultado das picadas!! Apesar de tudo, corri bem, e Grace partiu para seu último trecho.

Quando cheguei e vi o Rafa caí em lágrimas novamente, não acreditei que tinha conseguido terminar!! Estava feliz, mas quando chegamos no carro, comecei a passar mal... Nos dirigimos para a chegada e pedi ao Rafa para me levar à ambulância, e os socorristas me acalmaram com relação às picadas. Acabei botando o energético que tinha tomado todo pra fora, e fiquei lá um tempo, bebendo água e descansando. Tiraram minha pressão e estava normal, nessa hora já estava me sentindo melhor, fomos esperar a Grace chegar. 

Ela chegou inteirassa, apesar do trecho que era considerado o mais difícil, de ter batido a cabeça em um tronco e se perdido em uma parte da prova... Terminamos os 45km da prova com um incrível e inesperado 1º lugar em duplas femininas!!!

Na hora não sabíamos do resultado, e ainda tinha uma coisa a fazer... Achar minha aliança!!! O Rafa já tinha informado à organização da prova, que passou o rádio para o pessoal que limpava a trilha e anunciava no microfone... Mas até aí nada!!! Resolvemos não ficar para a premiação e ir os três, encarar a trilha e procurar minha aliança antes que a organização da prova retirasse as marcações... 

Percorremos cerca de 6km nessa busca, e ainda nos perdemos no caminho... Ao chegarmos ao local percebi que a busca seria bem mais complicada, pois na hora do ataque eu saí da trilha e não lembrava exatamente onde tinha sido... O raio de busca foi muito maior e passamos cerca de meia hora rodando o local... Achamos várias coisas perdidas, uma outra aliança, 2 óculos, 1 IPod shuffle, infinitas viseiras... Entregamos tudo para a organização da prova. Já estávamos desistindo da minha aliança quando o Rafa grita: Achei!!!! Voltamos felizes e muito cansados, quase não acreditei que nossa busca valeu à pena!!

Foi uma prova que vai ficar para a história!!! E se me perguntam, faria de novo?? É lógico que sim!!!"

Enxame de abelhas, perda de aliança de casamento, "topada" em tronco de árvore e o 1º lugar das duplas femininas. Grandes guerreiras. Não cansei de dizer depois a elas: orgulho grande da garra e determinação. Aventura como essa, nunca mais!!!

Parabéns, guerreiras!!!

Boas passadas.

3 comentários:

ivana. disse...

Nossa, pura adrenalina e emoção esta corrida. Parabéns a duplinha e a todos os participantes. Obrigada por compartilhar com teus leitores este relato, amigo ! Beijo.

Sérgio Bruno Aguiar Ursulino disse...

Realmente foi uma das maiores aventuras de corrida que já tive conhecimento!!!!

Marco Albuquerque disse...

Cara, que história fantástica!
Corro há mais de 30 anos em trilhas e já fui atacado por abelhas (JBB), mas nunca vi uma situação que requeresse tanta coragem. Parabéns pela determinação, parabéns pela colocação, parabéns pelos companheiros que souberam te apoiar e parabéns por terem achado a aliança!