sábado, 21 de abril de 2012

PARA CORRER BEM É PRECISO SABER PARAR

E aí, Corredor?!

Apesar de ser extremamente paradoxal o título deste post, é fácil entendê-lo quando conhecemos bem o nosso esporte e o que queremos tirar dele, tendo também o conhecimento do nosso corpo e de suas limitações.

Quanto mais entro neste "universo" da corrida, que vem há quase 6 anos me instigando e me provocando mais e mais, mais percebo que uma das melhores coisas proporcionadas pela prática é a capacidade que ela dá de nos dedicarmos ao nosso autoconhecimento, mental e físico.

Já corri provas de 5 km, 10 km, meias maratonas e uma maratona. Corri em trilha, serras, morros, praias. Enfrentei diversos terrenos e dificuldades variadas. Já me empolguei com o esporte demasiadamente chegando ao ponto de cometer excessos. Já fiquei no "estaleiro" por alguns dias, e apenas por alguns dias ao contrário de muitos amigos que já até pararam de corre por conta dos excessos.

Enfim, passei por muita coisa. Tive muitos objetivos nas provas que pratiquei. Primeiro foi correr, simplesmente. Depois foi quebrar recordes de tempo. Depois, superar distâncias. Daí percebi que o mais interessante não estava nisso apenas, que é bem interessante, mas sim em poder dar o melhor sem "se matar". Correr por prazer, realização. Não ficar colocando metas malucas, mas sim aquelas que podem te realizar pessoalmente.

Minha maior conquista nas corridas veio apenas este ano. Desde a corrida do Circuito Adidas, etapa de verão, realizada em dezembro em Brasília, que não tenho sofrido as chatas "sabotagens psicológicas". Aqueles momentos que temos no meio da prova que a nossa mente fica "falando" que não vai dar, que vou ter que andar, que é melhor desistir. Não tenho mais sofrido isso. O tal "estado de nirvana" que encontrava em alguns momentos numa corrida agora acontece durante praticamente todas as passadas.

Não sei se isso será para sempre. Tenho enfrentando nos último dias a dura rotina de treino para correr minha segunda maratona e não tem sido fácil vencer as barreiras mentais. E dores que antes pareciam mínimas tornam-se, de repente, enormes e me fazem ficar preocupado. Não sei se é por causa da corrida e da dificuldade de fazê-la, ou da lembrança da primeira, que foi incrível mas complicadíssima. 

Mas ao mesmo tempo, não tenho vontade de parar de correr. Este final de semana resolvi me segurar por que estava fazendo provas demais. No feriadão da Páscoa cheguei a correr os 3 dias, fazendo um total de 37k. E senti, é claro, pequenas dores musculares. Por isso, mesmo com uma corrida de revezamento bem interessante, a Maratona de Revezamento de Brasília, resolvi ficar quieto, recuperar-me das pequenas dorzinhas, bobas e já medicadas, para encarar de vez o treino para a maratona.

E isso faz parte do autoconhecimento. Perceber até onde você pode ir, não caindo na besteira de ir apenas pelo impulso de querer correr e correr, por que isso vai fazer parte sempre do nosso dia a dia, viciados que somos na prática de correr.

Não é fácil. Não me candidatei a nenhuma equipe nem a formar uma para não cai na tentação mas pensei em correr na "pipoca" apenas para curtir. Mas, mesmo tendo recebido um convite de última hora do amigo Kennedy, refutei pela minha determinação de me poupar.

O repouso é recomendado, meus amigos. Mas cada um sabe o momento que isso deve acontecer. Não se pode parar, acho eu, quando ainda estamos no começo por que ainda não estamos tão contagiados pelo esporte e podemos parar. Mas tem aquele momento que o corpo pede uma pequena e rápida paradinha.

E que venha a maratona e os próximos treinamentos. Volta do Lago à vista e Maratona do Rio como meta principal para 2012. Eu quero vencê-la novamente, mas desta vez, de maneira mais prazerosa.

Boas passadas!   

P.S.: Galera, este é o post de número 499 do E AÍ, CORREDOR ?!. Maneiro !!! 

4 comentários:

Gustavo disse...

Com certeza .. temos que saber nossos limites e saber parar na hora certa ..
obrigado por seguir o meu blog ..
http://gustavo-bodyperfect.blogspot.com.br/

Fábio disse...

A parada/descanso faz parte do treinamento... e fará a diferença na hora de socar a bota durante a prova...

Fábio
www.42afrente@blogspot.com

Danilo Confessor disse...

Ótima reflexão Caique. Estou num momento de muita empolgação com as corridas.
Sou muito iniciante, só participei de 2 até agora. Mas já fiz uma lista das que gostaria de participar até o fim do ano. E 1a versão da lista está com 13 corridas!!!
É claro que não participarei de todas já tinha diminuído para a lista para 9, e depois de ler seu texto, acho que vou deixar pensar mais um pouco antes das inscrições.

Abçs

Caique Responde disse...

É, amigos corredores.

Parar é fundamental para continuar no esporte. Repouso é recomendado quando estamos treinando e nos preparando para qualquer desafio. O negócio é saber quando pode e deve parar, para não cair na preguiça.

Obrigado pelas visitas turma e...

Vamos Correr !!!