terça-feira, 13 de agosto de 2013

CORRENDO ... PARA O BANHEIRO

E aí, Corredor?!

Levante a mão qual de nós, corredores, não precisamos ir a um banheiro químico antes de iniciar uma prova para "descarregar" os excessos! Difícil. Isso quando não precisamos fazer isso durante a prova, o que é pior.

Antes do início de qualquer prova, a fila dos banheiros químicos é sempre bem grande. Tanto no masculino como no feminino, a galera invade a área reservada, e não raro os que perdem a largada por conta desta necessidade. 

É claro, isso não é uma regra. Mas acontece. Para mim, até a Maratona do Rio deste ano, ir ao banheiro antes da prova para "tirar a água do joelho" era corriqueiro. Não normal, mas que já aconteceu mais de uma vez. Mas na prova carioca tive o desprazer de sentir a necessidade de correr para o banheiro no meio da prova, comprometendo toda o resultado da corrida.

E por que isso acontece? Uma matéria que li na revista Contra o Relógio, edição de agosto de 2012, traz algumas explicações para isso. 

Durante os exercícios físicos, a prioridade são os músculos trabalhados. Para levar mais oxigênio às pernas, glúteos, abdome ou braços, há uma redução do fluxo sanguíneo em direção ao trato digestivo. Por isso, muitas pessoas relatam não conseguir digerir certos tipos de alimentos enquanto correm. E quando um nutriente não é absorvido, ele tem uma grande chance de ser eliminado, o que pode culminar em uma diarréia.

Outra causa da aceleração do peristaltismo é o impacto do exercício. Alguns indivíduos adaptam a treinos mais intensos. Ao mesmo tempo, outros precisam limitar a quantidade de alimentos ingeridos horas antes da atividade, principalmente se a mesma for intensa.

A desidratação pode ser outra causa, isso por que a falta de água nas células reduz suas funções. No intestino a absorção fica comprometida, agravando o desarranjo intestinal.

Alguns atletas minimizam os impactos "treinando" para ir ao banheiro todos os dias no mesmo horário. Outros estimulam o peristaltismo caminhando ou trotando, indo ao banheiro e depois voltando para iniciar ou treino ou prova.

O que ajuda? - Primeiro, o acompanhamento nutricional é muito importante, pois estratégias de reposição de carboidratos e aminoácidos podem ser necessárias para manter a atividade, principalmente quando longa.

Diminuir drasticamente o consumo de fibras, cafeína, laticínios, alimentos gordurosos, sorbitol (adoçante comum em balas e chicletes) e pimenta na véspera e no dia da prova. Isso é ainda mais necessário quando a prova é longa.

No meu caso, na Maratona do Rio, primeira vez que tive que recorrer a um banheiro durante uma prova, posso dar mais um conselho: não ingira nada desconhecido na véspera da prova. Eu, tentando diminuir minha ansiedade por receio com a dor no tornozelo, acabei recorrendo a um suplemento que o nutricionista de amigos da Equipe X recomendou. Mas no caso deles, estavam ingerindo a fórmula há um tempo. Eu, ingenuamente, resolvi fazer uso no dia da corrida. Resultado: corri para o banheiro. Pela primeira vez tive um "piriri" numa prova, e durante a prova. Nunca mais (rss).

Enfim, é algo normal. O importante é não deixar que isso atrapalhe sua corrida.

Boas passadas.

2 comentários:

Luiz Souza disse...

Salve Caíque. Muito interessante essa explicação. Já sofri com vontade de urinar em provas mais curtas. Nas meias que fiz foi tudo sossegado.

Vou me lembrar desse seu post nas vésperas de provas longas.
Abraços e muito obrigado.

Caique (Carlos Henrique) disse...

Valeu, Luiz!

Cara, não é fácil. Mas a gente segue, mesmo assim.

Boas passadas.