quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

CORRENDO PELOS LENÇÓIS MARANHENSES

Alegria de correr nos Lençóis Maranhenses
E aí, Corredor?!

Corremos! No dia 9 de fevereiro de 2013, cerca de 40 corredores desbravaram a passadas largas as dunas do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, numa corrida que, arrisco-me a dizer, foi inédita no local. Afinal, quem pensaria em correr 12 km em um lugar tão difícil e inóspito? Pois nosso amigo e treinador Nirley pensou. E criou para nós esta experiência incrível de correr ali naquele local de exuberante beleza natural.

A corrida foi traçada com o objetivo de dar aos atletas da Equipe X que vão enfrentar os 23k ou 42,195k do Mountain Do Deserto do Atacama um treinamento preparatório para enfrentar o complicado desafio. Mas foi muita mais gente além deles, para curtir as belezas naturais do famoso parque e encarar o desafio inédito de correr nas areias dos Lençóis.

A estratégia foi muito bem traçada por Nirley. Durante a corrida, dois quadriciclos nos acompanharam durante todo o percurso, um no início e outro no final do grupo de corredores, para dar o apoio necessário de água e resgate. A cada 2k, Nirley parava o grupo para que todos se reagrupassem e fosse conferida a situação de cada um.

Foram 6k de dunas e outros 6k na praia. E todos deram conta e venceram o desafio. Chegaram ao final do percurso realizados, sabendo da vitória pessoal de ter conquistado um pedaço do Brasil e do mundo quase desconhecido pelos corredores.

A corrida - Saímos de Barreirinhas, pequena cidade maranhense que serve de base para quem vai aos Lençóis, logo cedo, de voadeira, pequeno barco, que nos levou pelo Rio das Preguiças ao ponto de partida, as dunas dos Lençóis. No local, os dois quadriciclos de apoio aguardavam para dar início ao desafio.

A ansiedade era grande e antes mesmo do início da corrida percebemos isso ao ver Nirley gritar para chamar a atenção de todos, que não parava de falar excitados que estavam por começar a correr, com as orientações sobre o percurso. E essas dificuldades foram constatadas quando começamos a correr. Os primeiros 6k de areia se fim, com enormes dunas para atravessar. Não foi fácil, mas a beleza do lugar compensava o esforço.

Percurso exigiu de todos bom preparo físico e psicológico
Até a praia de Caburé, quando completamos os 6k, o terreno era esse, de dunas de areia fofa, cansativas  e difíceis de transpor. Quando terminamos essa parte e chegamos a praia, parecia que um motor turbo havia sido colocado em nossos pés tal a facilidade do terreno, de areia batida, umedecida pela água do mar.

No final a alegria era visível no rosto de cada um que venceu o desafio. Cada um percebeu que a vitória pessoal tinha sido indescritível. E na memória com certeza ficou cada centímetro vencido nos Lençóis Maranhenses.

Para o desafio adquiri um tênis específico para trilhas e mais próprio para areia da New Balance. E realmente ele se mostrou eficiente, não deixando a areia entrar, além de ser leve para não pesar no cansativo percurso. No mais, os acessórios fundamentais: boné, óculos de sol, camisa de manga longa da Equipe X, bermuda e meião de compressão para não deixar a areia que bate com o vento na perna incomodasse.

Foi uma das melhores corridas que já fiz. Não só pelo belo local, como também pelas excelente companhias e pelo extremo desafio. Uma prova realmente inesquecível.

As dunas, nosso principal desafio
Os Lençóis Maranhenses - O Pólo Parque dos Lençóis, situado no litoral oriental do Maranhão, envolve os municípios de Humberto de Campos, Primeira Cruz, Santo Amaro e Barreirinhas, este último sendo o principal portão de entrada para esta fantástica beleza natural. Seu maior atrativo é o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, às margens do Rio das Preguiças, no Maranhão. São 155 mil hectares de paisagem deslumbrante, cheio de altas dunas com até 40 metros de altura e lagoas de água doce, cujas águas variam entre os tons de verde e azul. As águas que formam as lagoas ficam aprisionadas entre as dunas, formando verdadeiros oásis tropicais. Algumas lagoas chegam até a ter peixes. As lagoas mais conhecidas são as chamadas Lagoa Azul e Lagoa Bonita, famosas pelo seu encantamento e condições de banho.

O melhor período para visitar os Lençóis Maranhenses, quando a maior parte das lagoas estão cheia, é ir logo após o período de chuvas, ou seja, depois do mês de junho. O período vai de dezembro a junho. Como nós resolvemos aproveitar o período do carnaval e o nosso propósito principal, além de conhecer o parque, era correr, não vimos as famosas lagoas mas apenas os lugares onde elas se formam. Mesmo assim, a visão é incrivelmente linda.

A principal porta de entrada para o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses é a cidade de Barreirinhas, no Maranhão, que fica às margens do Rio das Preguiças. A cidade conta com todos os serviços necessários (bancos, comércio, pousadas, serviços para os parques.). Nela pode-se alugar os dois tipos de transporte utilizados para levar ao parque: a voadeira, o pequeno barco que navega pelo rio, e as caminhonetes com tração (Toyotas), que levam por terra. O passeio na voadeira é mais confortável, mas a aventura nos carros é interessante, levando a gente a lugares diferentes.

Nós utilizamos os dois tipos de transporte. No dia da corrida, fomos de voadeira, que nos levou aos lençóis baixos. No dia do passeio, encaramos as Toyotas, num passeio mais radical. Passeamos pelo Rio das Preguiças, praia de Caburé e Atins, todos no Parque. Tudo é bem nativo, com pouco contato humano já que não é fácil chegar aos locais. Levamos 40 minutos de barco até as dunas num passeio incrível pelo Rio, onde passamos por igarapés e mangues, e também 40 minutos de carro até Atins para curtir a praia local.

O encontro da duna com o mar, além da presença do rio, tornam a paisagem indescritível. É realmente algo singular, uma beleza natural incrível. Todo o esforço na corrida e no passeio de carro valeu muito à pena, mesmo não tendo as lagoas cheias neste período.

Barreirinhas é uma cidade pequena. O atendimento é lento e confuso, sendo necessário paciência do turista. Você vai encontrar restaurantes e pousadas, mas o ritmo do povo é lento e tudo isso se traduz no atendimento. Exemplo: Em Atins, pedimos no restaurante nossos pratos, que levariam mais de 1h para ficarem prontos. Daí, aproveitamso neste tempo para conhecer a praia, esperando que quando voltássemos a comida estaria pronta. Só que a comida ficou pronta mais de 1h depois que voltamos da praia, o que nos fez perder um tempo maior no mar. Enfim, tudo se releva pelo belo passeio e pela possibilidade que tivemos de conhecer este local ímpar.

43 corredores encararam o desafio extremo da
Equipe X nos Lençóis Maranhenses
Boas passadas.


3 comentários:

ivana. disse...

Um excelente circuito, sem sombra de dúvida ! Parabéns !!!

Danilo Confessor disse...

Muito legal Caique! Tenho muita vontade de conhecer os lençóis e depois desse seu relato a vontade só cresceu.
A Equipe X vai está tinindo para essa aventura no Atacama heim! Parabéns a todos.

Abraços,

Danilo Confessor
Blog Confissões de um Confessor

Paulo Sales disse...

Agora em março de 2017 vai rolar lá uma etapa da Corridas de Montanha, seria tão bom se de repente tivesse uma lagoinha hauaha
Abs!