terça-feira, 3 de julho de 2012

PASSEIO PELO PALCO DA MARATONA DO RIO

E aí, Corredor?!

Faltam 5 dias ! O tempo voou para gente que está treinando forte para a Maratona Internacional Caixa Cidade do Rio de Janeiro. Quer dizer, voou até semana passada, por que esta semana, por conta da ansiedade do dia chegar, tá passando lentamente.

Hoje, nada de textos longos. Que tal um passeio por algum dos pontos da nossa prova? Achei alguma fotos que retratam isso. Siga no Facebook da "Maratona do Rio":

Conhecida popularmente como "Praia da Macumba", a Praia do Pontal de Sernambetiba, estende-se do Pontal até o Canal de Sernambetiba e faz parte do Recreio dos Bandeirantes.

O nome popular veio por ali ser local em que adeptos de religiões como Umbanda e Candomblé tinham o hábito fazer suas oferendas à Iemanjá e orixá. 

E é aqui que acontece a largada na Maratona. 7h30 todo mundo lá para começar a dar suas passadas rumo ao Aterro do Flamengo.


Depois do Recreio dos Bandeirantes e do Praia da Reserva encontramos a Barra da Tijuca, a praia mais frequentada da zona oeste do Rio de Janeiro. 

Na prova, um dos pontos altos da paisagem é a Pedra da Gávea, que fica no morro que divisa a zona oeste da zona sul. Depois é São Conrado.




A galera da Meia Maratona larga mais ou menos da Praia do Pepê. E nós, da Maratona, já teremos rodado 21k quando passarmos deste ponto. 

A praia do Pepê tem este nome em homenagem ao campeão mundial de asa delta Pepê.  Este local é um trecho da praia da Barra entre o quebra mar até mais ou menos a barraca de sanduíche natural do falecido Pepê



No Elevado do Joá é que temos uma vista incrível da Praia de São Conrado e, dependendo do dia, se estiver mais limpo dá até para enxergar um pouco de Copacabana, de repente. 

No Joá temos um túnel onde a organização sempre prepara surpresas. DJs e laser com imagens de corredores correndo e chegando ao fim da prova para motivar.

É aqui que encaramos nossa primeira subida, esta mais leve. O cuidado aqui é com o terreno, inclinado demais, o que pode ter reflexo mais à frente, depois do "muro" dos 30.


Depois de São Conrado encaramos nossa mais dura travessia: a Av. Niemayer. Muita gente não sente nada ali, mas temos aqui uma subida de mais ou menos 2 km. E é nesse ponto que temos o "muro" dos 30 km. 

Se chegar bem aqui e passar maneiro, sinal de conseguir fechar num tempo bom a Maratona. 

Cuidado não só com a subida mas principalmente com a descida. Jogue o calcanhar na frente e vá com calma. Aqui, a panturrilha e o joelho são bastante exigidos.



Sinta o drama de uma parte da subida da Niemayer. Tranquilo. Na minha Maratona de 2010, passei forte aqui e, na descida, já no Leblon, comecei a sentir as dores na panturrilha que quase me quebraram.






Copacabana . . . falta pouquinho para o fim da prova. A mais famosa praia carioca é o alívio do corredor que está inteiro. No final, já teremos percorrido pelo menos 38 km. Tá chegando e faltando pouco mesmo. Daí é encarar Botafogo e chegar no Aterro para o abraço.





Aterro do Flamengo, principal palco das corrida no Rio de Janeiro. Aqui termina a Maratona e aqui completamos nosso desafio. Se faltarem 2 km e estivermos bem, é jogar mais força nas pernas e terminar com um sprint para sair bonito na foto.


E finalmente, o que mais queremos ver, o pórtico da chegada. 42,195 km completados. Com certeza, uma superação para qualquer atleta, mesmo o mais condicionado. Depois, é pegar a medalha e cair num extâse total. 

 Boas passadas.


Fonte: Facebook Maratona do Rio



3 comentários:

Samille disse...

Muito legal viajar nessas fotos e me imaginar nesses lugares!!! Obrigada Caique. Falta pooooouco.....

Luiz Souza disse...

Excelente descrição. Fez com que eu me sentisse na prova enquanto lia.
Parabéns Caíque

Corridas do Luizz

caique Responde disse...

Valeu Samille e Luiz.

Vivo cada metro desta paisagem nas provas que corro no Rio. É show, meus amigos.

Não é verdade, Samille?!

Boas passadas!