domingo, 18 de novembro de 2012

CORRIDA SEM COMPROMISSO - VOLTA DA ALINE (19K)

Correr, bom demais. Sem compromisso, melhor ainda
Hoje não foi dia de correr em nenhuma prova paga, apesar delas terem acontecido mais uma vez este final de semana em Brasília. Hoje foi o dia de me reencontrar com os longões sem compromisso, que tanto fizeram parte dos meus finais de semana no primeiro semestre deste ano.

E foi uma corrida de aventura. Aline já tinha planejado o percurso. Largada e chegada nas proximidades de seu prédio, mas dando uma volta bem grandinha, passando por metade do bairro de Águas Claras, boa parte do Pistão Sul de Taguantinga, cidade distrital do DF, depois pegando a Estrada Parque Núcleo Bandeirante (EPNB) para pegar a pista que liga a EPNB a Águas Claras e Park Way do Guará (EPVP), já no caminho de volta.

Distancia? Indefinida. Percurso? Em grande parte desconhecido. Tinha corrido apenas na EPVP, na ciclovia. O resto, novidade. Enfim, não sabíamos o que iríamos encontrar pelo caminho. E as surpresas não foram poucas, o que foi o maneiro do longão.

Largamos por volta de 9h30. Com o corpo frio, nosso inicio foi encarar um bela subida, bem íngreme e longa, até o chamado Balão da Unieuro, toda em Águas Claras. Não foi fácil vencer esta subida, já que estávamos no começo de nossa aventura. E, tendo que correr pela calçada, num sobe e desde danado, foi diferente e nem um pouco monótono, como todo o percurso acabou se mostrando.

A primeira grande surpresa foi na via que fica atrás do Taguatinga Shopping. Não sabíamos que ali acontecia no domingo uma feira de carros. A novidade complicou um pouco o desenvolvimento de nossa corrida, por que o trânsito de carros era intenso e perigoso, exigindo bastante atenção. Tivemos que correr entre os carros cerca de 1k que pareceram mais. Mas passamos bem pelo desafio. Nisso já estávamos vencendo o Pistão Sul.

Ali, um primeiro "pit stop", já que tínhamos pouca água, num posto de gasolina. Neste ponto, já havíamos corrido 5k. Paramos uns 5min para hidratar e depois continuamos nossa trajetória.

Superado o Pistão Sul, cerca de 7k corridos, entramos na EPNB. A pista é uma estrada federal, de trânsito pesado. Mas tem um bom acostamento e ali foi uma corrida bem tranquila. Pegamos uma boa subida no início, mas depois, até chegar a EPVP, uma deliciosa descida. Antes, mais um "pit Stop" para mais hidratação.

Na EPVP, na ciclovia, já sabíamos o que iríamos encontrar. Nada de moleza. Só descida e subidas, e todas intensas. Terreno inclinado e bem movimentado. Ali, depois de 16k, Aline cansou e andamos um pouco. Depois continuamos com um trote. Até que no final dela, Aline surpreende e imprimiu um ritmo mais forte na última subida. E comemorou a chegada no final.

Só que tínhamos mais uns 3 ou 4k de . . . subida. Até chegar ao ponto de chegada, já dentro de Águas Claras, tínhamos que continuar superando subidas, e uma das piores, já que estávamos cansados. Mas conseguimos vencer tudo isso.

Distância total da brincadeira: 19,3 km. E de uma aventura e tanto. Encaramos só intensidade de subidas e descidas, e de trânsito. Mas foi um reencontro com meu com os longões. É que, nas meias maratonas, a gente acaba forçando mais, correndo com outras pessoas do lado. Hoje, correndo " de boa", sem compromisso, o prazer foi bem maior. E fazia tempo que não encarava um desafio assim, sem saber o que iria encontrar pela frente.

E é assim, definitivamente, que gosto de correr. Encarando grandes distâncias e sem me exigir demais. Apenas pelo simples prazer de correr. E como é bom voltar a sentir este prazer.

Pra quem gosta de correr, não pode deixar de fazer isso. Sair sem rumo, "correndo contra o vento, sem lenço e sem documento", fazendo uma apologia a Caetano Veloso.

Boas e felizes passadas.

Um comentário:

Luiz Souza disse...

Que bela aventura Caíque.
Ainda não tive esse prazer de sair sem rumo, mas é uma das minhas vontades.
Grande abraço e meus parabéns pela aventura. Às vezes uma dessas vale mais do que uma com medalha!

Abraços