domingo, 4 de novembro de 2012

GOLDEN FOUR ASICS - A CORRIDA

"Família" Equipe X na Golden Four. Ou melhor, parte dela
E aí, Corredor?!

A Golden Four Asics foi A MEIA MARATONA de Brasília. Organização impecável e tudo de muito bom gosto. É claro que o preço também exigia isso, afinal R$ 100,00 não é para qualquer um. Mas valeu cada centavo. desde a retirada do kit até a prova tudo foi um exemplo de superação da expectativas. 

Na entrega dos kits um espaço grande, com tranquilidade para suportar uma multidão de corredores, como a que tínhamos no dia. A entrega foi realizada apenas no dia anterior à prova, e quando cheguei lá e vi aquela quantidade bem grande de pessoas retirando o kit pensei que iria levar horas para pegar o meu, mas isso não aconteceu. Peguei o kit rapidamente. Tudo programada, sistematizado, tranquilo. O kit é um dos melhores entre as corridas. Viseira, de qualidade, toalha e camiseta. 

E a prova foi fantástica. Eu vacilei e perdi a hora da largada, que foi às 7h. Bobeei e tive que pegar a corrida no meio. Na verdade, peguei ainda no início, mas a galera já tinha corrido 4k. Fiquei lá na rabeira, com a turma mais lenta. Mas não estava nem aí. Tinha que correr, nem que fosse parte da corrida.

O percurso, que saiu do Memorial JK no Eixo Monumental, desceu até a rodoviária da cidade e desceu pelo Eixão Sul. E foi aí que comecei a correr. Até aí descida, mas, depois de ir até a quadra 16 da Asa Sul, hora de voltar, e o que era descida virou, é claro, subida. Tudo bem, já que estávamos bem municiados de água e isotônico. Só no Eixão foram 4 pontos, e dois deles com isotônico junto. Tínhamos um local com a água e muito gente distribuindo e do outro o isotônico, com muita gente distribuindo também.

Mas a subida é sempre subida. E a do Eixão, com aquela paisagem monótona e igual, cansa também o psicológico de muita gente. Eu, que estava correndo meu 5k, fui em frente, relaxado que estava por já ter perdido a prova inteira.

Terminado o Eixão, só alegria. Uma descida até praticamente a chegada. Pegamos a Esplanada dos Ministérios, palco de outras tantas provas, passamos pela Praça dos Três Poderes, onde estava para acontecer a cerimônia de troca da bandeira. E dá-lhe descida passando pelo Palácio do Planalto e indo rumo ao viaduto do presidente e, no retorno para a Vila Planalto, uma subidinha até descermos para chegada, na Concha Acústica.

Foi uma prova incrível. O tempo ajudou, nublado e fresco. Os muitos postos de hidratação e isotônico ajudaram demais. E lá fomos nós curtir a prova. Para mim, que acabei correndo 17k, foi até bom, de certa forma, por que ainda luto com um tornozelo um pouco dolorido. A dorzinha sumiu já no 3 km. Mas ter corrido menos talvez tenha sido melhor. Só que fiquei realmente chateado comigo pelo meu atraso.

Enfim, corri. E foi muito bom. E lá, é claro, encontrei os meus grandes amigos da Equipe X e de outras equipes. Eram muitas assessorias esportivas e acredito que esta prova é, depois da Volta do Lago, a que mais traz gente de fora para Brasília, atletas que focaram em tentar cumprir as 4 etapas da Golden Four, que aconteceu antes em Belo Horizonte, Rio de Janeiro e São Paulo. Tenho um amigo que conseguiu fazer as 4, Orion, mestre das pistas.

E o ano de corridas está acabando. Temos ainda a Circuito Caixa, ainda em novembro, e a última etapa do Circuito Adidas, em dezembro. Claro que, para quem vai, ainda temos a Volta da Pampulha e a São Silvestre. Mas eu, depois destas duas, só a Meia da Disney, em Orlando. Sempre conservando o tornozelo que só melhora, graças a Deus!

Boas passadas.

2 comentários:

Danilo Confessor disse...

Olá Caique,

Depois de duas semanas numa correria danada, só agora a tarde depois do Circuito Caixa, que vim ao "E aí, corredor" ler os últimos posts.

A Golden Four foi realmente show né. Ano que vem, além da prova aqui de Brasília, vou tentar participar de mais alguma etapa fora.

Que pena você ter perdido a largada. Foi muito bonita a decida do eixo monumental com todos os corredores ainda mais juntos.

Espero que esse tornozelo fique 100% o quanto antes.

Abraços,

Danilo Confessor
Blog Confissões de um Confessor

Caique (Carlos Henrique) disse...

Valeu Danilo!
O tornozelo já tá maneiro. 99% pelo menos.
E vamos que vamos nesta gostosa correria.
boas passadas.