segunda-feira, 4 de março de 2013

24 KM PELAS AVENIDAS DE TAGUATINGA

Os 12 guerreiros: da esquerda para a direita
Em pé: Helder, Lena, Susete, Chamon, Conceição,
Aline, Thaís, Rafael e Sérgio.
Agachados: Gracie, Nirley e Eduardo
Eu (Caique) estava, é claro, tirando a foto
e depois ainda chegou
o Ivanilson
E aí, Corredor?!

A galera da Equipe X que vai curtir os 23k ou a Maratona do Deserto do Atacama mostrou mais uma vez neste domingo, dia 03 de março, que está pronta para o desafio. Nirley, nosso professor e amigo, preparou um percurso cheio de subidas, descidas e altamente desafiador para corrermos, e com o propósito principal de treinar a turma que vai para o Chile. Eu (Caique) e mais alguns entramos de gaiatos, para curtir mais um treino com esta galera incrível.

O ponto de largada e chegada foi a entrada do Parque de Taguatinga, cidade satélite do Distrito Federal, um espaço desconhecido da maioria dos corredores que foram encarar o treinão/desafio. Nirley aferiu duas distâncias, tanto ele próprio como de carro. Uma, de 18k e outra de 24k. Ambas recheadas de subidas e descidas.

Lena, Gracie, Edu e Conceição ao fundo
no Parque de Taguatinga, no começo do longão
Ao todo foram 13 corredores e mais o Nirley, fazendo o apoio de carro com água e frutas pelo percurso. Helder, estreiando em longões assim como Lena, que não tinham feito ainda mais de 10k. Conceição, Thaís, Rafael, Sérgio, Gracie e Eduardo, a galera do Atacama. Eu, Aline, Susete,  Chamon e Ivanilson, aproveitando o treinão.

Percurso - O Parque de Taguatinga serviu como ponto de largada e chegada. No início, corremos pela pista de cooper/ciclovia do Parque, que fica paralela ao Pistão Norte de Taguatinga. Ficamos nela até chegarmos à pista que margeia a Avenida Estrutural, que liga Taguatinga ao Plano Piloto. Aqui, o percurso era plano, ótimo para começar a esquentar.

Na estrutural, um descidão forte e perigoso para os joelhos menos avisados. Mas fomos bem e, antes de chegarmos à pista do Joquei, uma rápida subida, aí sim na Estrutural.

Chamon, Susete, Helder e Ivanilson na pista que
margeia a Estrutural. Descidão bom. Ao fundo o Sérgio
A pista do Joquei liga a Estrutural a EPTG. Ela é bem plana e boa de correr. E nela que a turma se dividiu, com alguns indo para o percurso dos 24k e outros para o dos 18k. 

Nos 24k fomos eu (Caique), Aline, Eduardo, Chamon, Susete, Ivanilson, Sérgio e Gracie. 

Helder, Lena, Conceição, Rafael e Thaís partiram para os 18k, que acabou correndo 19k segundo relato deles.

No percurso de 24k subimos um viaduto que passa por cima da EPTG, pegamos a via paralela para pegar a EPVP, pista que leva a Águas Claras, e ali corremos na ciclovia. Aqui, variação da altitude, com pequenas descidas e subidas, nada de terreno plano. Na ciclovia, fomos até a entrada principal de Águas Claras para depois voltar e pegar a parte final do circuito, a EPTG.

Na EPTG, uma subida de cerca de 4 km. E que subida, meus amigos! Bastante íngreme e difícil mesmo. Ela foi até praticamente pegarmos novamente a pista de cooper/ciclovia do Parque de Taguatinga e mostrou-se desafiadora.

Eu (Caique) na pista do Joquei. Águas Claras
está ao fundo
No Parque, a corrida terminou com uma nova subida, mas antes passamos pela estrada de Vicente Pires, bairro de Taguatinga, e aí a tensão ficou maior por que tinham muitos carros e nenhum acostamento. Mas era um trecho pequeno assim, que enfrentamos todos bem.

Apoio - A parte fundamental do sucesso de nossa corrida foi o apoio de carro dado pelo Nirley. A cada 3k, algumas vezes até menos, ele estava lá com a água, salvadora por que o calor estava grande. Só num momento para a turma dos 24k é que ele teve que deixar-nos, resolvendo acompanhar a galera dos 18k. Mas no final da grande subida ele apareceu para nos avisar do percurso e nos ajudar.

Percebi que o treinamento da galera do Atacama está perfeito e todos vão completar a difícil prova tranquilamente, caso não exista nenhum imprevisto. Eduardo está correndo solto e tranquilo, assim como Rafael, Thaís, Sérgio e Gracie, que nem precisavam mas resolveram assim mesmo fazer o treino completo, de 24 km. Conceição, com sua experiência de 5 maratonas, vai fazer a prova bem também, curtindo.

O motivador guarda-sol da Equipe X que, de longe,
mostrava para gente a existência do carro de apoio
do Nirley
Enquanto a nós, parceiros de treinão, podemos dizer que estamos bem e indo firme no nosso objetivo maior, que é agora a Maratona do Rio de Janeiro. Mesmo Lena e Helder mostraram-se prontos para qualquer desafio que, no caso deles, acredito que será a Meia na capital carioca.

Mais um ótimo corridão, com os grandes amigos da Equipe X. E, é claro, depois tudo terminou com um churrasquinho na casa da Samile, que não correu mas nos recebeu com sua habitual energia contagiante.



Boas passadas.

Um comentário: