sábado, 5 de fevereiro de 2011

COMO ESCOLHER UM TÊNIS PARA CORRER

E aí, corredor?!

Um dia desses estava conversando com uns amigos sobre nosso esporte, corrida, e no meio da conversa surgiu um assunto sempre presente em nossos assuntos: a escolha do tênis certo para correr.

Já falei diversas vezes sobre este assunto aqui no E AÍ CORREDOR. Em setembro de 2008 trouxe o post intitulado "A Escolha do Tênis Ideal", o primeiro que tratei deste assunto tão importante, colocando o porquê da necessidade de se escolher e realizar a troca de calçado periodicamente.

Em janeiro de 2009 foi a vez do post "Qual é o Seu Tipo de Pisada", onde tratei do assunto sobre como saber da pisada que cada um tem para escolha do tênis certo para a prática, assunto este que voltei a falar recentemente, com dados mais atuais, no post homônimo "Qual é o Seu Tipo de Pisada", em janeiro deste ano.

Em abril de 2010 publiquei um resumo de uma interessante matéria da Revista O2, de janeiro de 2010, intitulada "Mais Detalhes Sobre o Tênis", onde é traçada uma explicação sobre a diferença de material usado nos calçados de corrida de hoje, específico para cada tipo de pisada.

A corrida, à primeira vista, parece um esporte fácil, que não requer grandes cuidados. Não existe contato físico, parece que não precisamos de tanta técnica para correr e, com um pouco de treino, já estamos devidamente habilitados para enfrentar uma prova de 5 km ou mais.

Isso só à primeira vista. Quem se aventura no esporte percebe logo que não é tão fácil assim correr. Existe sim uma técnica certa, que te ajuda a ter melhor rendimento e maior resistência, e uma série de outros detalhes, que, dependendo do seu grau de envolvimento com o esporte, tornam-se extremamente necessários.

Em termos de acessórios, o tênis é o principal deles. Quando comecei a correr, não me preocupava com esta história de tênis específico para a minha pisada, nem sabia que existia um tipo de pisada específico de cada pessoa. E mesmo quando me falavam disso, achava mais que era fruto de uma jogada de marketing dos fabricantes.

Mas foi só saber minha pisada certa para descobrir o quanto isso era importante. Não tenho como prioridade hoje na prática da corrida em bater recordes e mais recordes pessoais de tempo ou distância. Meu negócio é correr, ter um esporte regular, praticar, dar minhas passadas por aí. E como para isso as distâncias foram aumentando, saber a minha pisada exata para comprar o calçado certo para ela tornou-se imprescindível e até fundamental para minha continuidade no esporte.

Lesões são muito comuns em nós corredores. A corrida, chego a pensar, apesar de não parecer é um esporte radical. O impacto das passadas no nosso organismo é extremamente forte. Envolve pés, panturrilha, canela, coxa, joelho, glúteos, coluna, músculos diversos, ombros, pescoço, só para citar algumas partes do nosso corpo que são envolvidas no momento de uma passada. E, para quem tem o hábito, é necessário se proteger com todas as ferramentas possíveis que possam evitar uma lesão.

Assim, e por conta do E AÍ CORREDOR, saí em busca de um tênis ideal para o meu tipo de pisada, entre os vários modelos existentes no mercado. No começo não sabia, como mencionei, meu tipo certo de pisada. Mas já conheci muitos modelos.

Passeei pelo Mizuno, com o Creation. Nele, destaco a leveza e a respirabilidade. O pé fica confortável e arejado. E, principalmente no modelo 10, o calçado é bonito. Mas achei que o amortecimento, apesar da boa estabilidade, é duro. 


Depois testei o Asics Nimbus, a marca preferida dos corredores do mundo todo, segundo pesquisas. O Nimbus é um calçado que se destaca pelo excelente amortecimento. A gente realmente sente ele, macio. Mas é um tênis pesado. Correndo com ele uma prova com dia chuvoso, o peso dele duplicou, cansando mais. 


Mas até aí não sabia meu tipo certo de pisada e os dois acima não são ideais, já que são próprios para supinadores, e eu tenho pisada neutra com leve pronação.

Parti então para o Adidas Supernova, ideal para pisada neutra. Em termos de custo-benefício é excelente. Preço bom em um tênis que atende bem em amortecimento, beleza, boa respirabilidade do pé, deixando ele arejado durante toda a prova, leve, boa estabilidade. Mas o maior problema para mim foi que o calçado tem a ponta mais fechada, roçando na unha do dedão. 

Aí, em uma viagem ao esterior comprei um Nike, o Structure, este específico para minha pisada. Um bom tênis. Ele não é tão pesado, bem arejado, bom amortecimento (nem tão macio, nem tão duro), bonito. Para corrida, ótimo, mas não gostei para treino. Nos tiros, ele se mostrou ruim. Meio termo.

O outro tênis da Nike que estou usando atualmente é o LunarGlide. É o mais bonito de todos, com excelente amortecimento, sem costura para irritar no contato do pé com o calçado. Conceito moderno, adapta-se a qualquer tipo de pisada segundo o fabricante. O único defeito: meu pé parece ficar "queimando" depois de 5k de prova ou corrida. Muito quente. Mas é um tênis bom e que tem um preço acessível dos top's e estou achando bom.

Mas a marca que me adaptei melhor foi a Saucony. Estou usando o Grid Sinister, para a minha pisada. E depois de tantos testes escolhi esta marca para me acompanhar. É pouco conhecida no Brasil, mais já tem muita experiência dos EUA. O Sinister se mostrou um tênis leve, arejado, macio, estável. Um ótimo modelo. A marca tem boa aceitação entre ultramaratonistas. Foi, de todos, o que mais me adaptei. 

Na verdade, depois de tanto testar e ouvir amigos corredores, o que tenho a dizer é o seguinte: quando achar um tênis em que você se adapta, fique com ele. Acompanhe o modelos sempre, por que isso é que é o certo. 

Tenho amigos que adoram Mizuno, outros que amam o Asics, aliás a marca preferida mundialmente segundo pesquisas, outros não largam o Nike - tenho vários amigos amando o Lunar Glide, que também gostei mas não mais que o Saucony, e o Vomero, para os supinadores - e outros que se adaptaram bem ao Adidas. 

Boas passadas.

2 comentários:

Aline disse...

Excelente matéria!!! E acredito que tão importante quanto escolher o tênis correto é saber a hora de aponsentá-lo! Recentemente, li sobre o assunto...e recomenda-se trocar entre 560-880 km de uso, salvo os casos de corredores que estão voltando de uma fratura por estresse, que deverão aposentar seu tênis com no máximo 640 km de uso...É claro que essa distância está vinculada à marca do tênis, ao peso do corredor, ao tipo de trecho dos treinos e etc. Particularmente, acho difícil calcular essa medição...sempre vou, talvez equivocadamente, pela situação da sola do tênis e pelo tempo já de uso...
Quanto às marcas de tênis, não experimentei tantos assim, mas até agora, o Nike Vomero foi o que melhor adaptei...minha pisada é neutra/supinada!!
Bjokas!!!

Caique (Carlos Henrique) disse...

Legal, Aline
O Vomero é bem recomendado mesmo. E tem tudo isso aí que vc falou, de distância e coisa e tal.
Valeu